sexta-feira, 20 de março de 2009

Pense...



É... hoje acordei pensando e questionando algumas coisas, que a maioria das pessoas - incluo-me nisso também sempre faz.
Sempre valorizamos o sucesso alheio e esquecemos de reconhecer as nossas próprias conquistas. Parece até que o que é bom só pertence aos outros.
Muitas vezes, incentivamos os amigos a correrem atrás de seus sonhos, mas não temos coragem de fazermos o mesmo.
Lógico, nossos sonhos não são tão importantes...
Estamos sempre prontos para socorrer quem precisa de ajuda, porém sempre fugimos quando trata-se de enfrentarmos nossos medos.
Temos inúmeros elogios diante de uma pessoa que alcançou uma grande realização, mas não nos sentimos capazes de assumir o pódio e comemorar nossas vitórias.
Não nos cansamos de aclamar os “dons” alheios e fingimos que as qualidades que possuímos são tão comuns...
Só colocamos as nossas melhores roupas em ocasiões especiais e nos esquecemos que podemos sim, caprichar no visual por causa própria, afinal somos especiais!
Quem disse que é ofensa assumirmos que estamos alegres?
E muito menos não precisamos dar explicações pela nossa alegria, estamos vivos, e isso já é motivo para sorrirmos.
Quem disse que não podemos invadir a pista de dança se não soubermos completamente o ritmo da música?
Se o amor acabou, por que somos obrigados a continuar, mesmo quando o coração pede outro rumo?
Se a amizade é falsa por que insistir em mantê-la?
E por que fingir quando a vontade é se rebelar, fazer coisas inusitadas, mudando o rumo da nossa vida?
Por que ser sempre “boazinha”, sufocando nossos desejos e ocultando nossa opinião?
E a máscara que usamos? Já não está na hora de tirá-la?
Chorar sim, sem vergonha, mas depois secar as lágrimas, retocar a maquiagem e retornar ao palco da vida.
Insistir no otimismo, mesmo rodeada de pessoas que adoram lhe colocar pra baixo, afinal elas só conseguirão lhe atingir se você permitir.
Não perca tempo procurando a felicidade, aproveite cada instante intensamente e depois verá que não precisa procurar, a felicidade acaba surgindo, quando estamos “bem sintonizados”.
Não gaste energia se martirizando com comentários maliciosos; ao invés de se isolar, espalhe ainda mais o seu brilho.
Não procure justificações por estar feliz, seja e ponto final; ou melhor, ponto de exclamação!
Ao invés de procurar reconhecimento, passe a se valorizar, perca mais tempo admirando-se no espelho.
Cometa pequenas loucuras quando tiver vontade.
Ter em mente que você é a pessoa mais importante do mundo não significa que é egoísta.
Só podemos amar verdadeiramente outra pessoa, quando primeiro tivermos amor próprio.
Enfim, não importa os outros, o quanto eles são belos, famosos, ricos, felizes ou qualquer outro “modelo” criado pela sua mente.
O que realmente faz a diferença é acreditar em você.
Porque quem acredita, voa, mesmo sem ter asas!!
Pense nisso, vale a pena.
E para terminar, só posso dizer:
Seja uma estrela!!!




...

2 comentários:

Janini Pinheiro disse...

Oiii
Show este texto..
O texto descreve exatamente como somos... Infelizmente as vezes abraçamos as causas das outras pessoas e deixamos para traz a nossa por medo e falta de confiança... as vezes sentimos que a grama do vizinho é sempre mais verde que a nossa, só porque nos falta iniciativa de começar a regar a nossa.. é a vida, somos seres humanos complicadíssimos e difíceis de sermos entendidos... eu sou exatamente assim!!!

Bjus
Janini

Daniel Savio disse...

Sabias palavras, apesar de que eu não tenho usado o conceito há algum tempo...

Fique com Deus, menina Déia.
Um abraço.