segunda-feira, 20 de abril de 2009


Estamos acostumados com a velha desculpa: embora saibamos que nosso coração conhece a melhor decisão a tomar, nunca seguimos o que ele diz. Para compensar nossa covardia, terminamos nos convencendo de que ele estava enganado.

Uma bela história de Gibran ilustra até onde nos podem levar as limitações
.

O Olho disse:

- Vejam que bela montanha temos no horizonte!

O Ouvido tentou escutá-la, mas não conseguiu. A Mão falou:

- Estou tentando tocá-la, mas não a encontro.

O Nariz foi conclusivo:

- Não existe montanha, pois não sinto seu cheiro.

E todos chegaram a conclusão de que o Olho estava enganado.

3 comentários:

Ernani Netto disse...

Nossos sentidos por si só não podem mostrar a beleza do que temos à nossa frente sem que todos estejam devidamente provocados!

Bjaum

Daniel Savio disse...

Interessante o texto, mas geralmente quando sigo o meu coração eu me dou mal...

Hua, kkk, ha, ha, ,brincadeira com um fundo de verdade.

Fique com Deus, menina Déia.
Um abraço.

Olavo disse...

Eu sigo sempre..nem me importo a consequencia..
beijos